domingo, 21 de setembro de 2014

O QUE É O CÉU?

Muita coisa tem sido dita a respeito do que seja o céu e o inferno, como, por exemplo, que céu é somente um estado de espírito, que seria o último estágio de desenvolvimento espiritual do ser humano, ou que o céu será aqui mesmo em uma terra transformada, ou que o céu não existe, ou, ainda, que o céu é o universo e que os que vão para o céu passam a habitar em outros planetas. Quanto ao inferno, que seria aqui mesmo, ou que seria um tormento espiritual, ou que seria o tormento de arrependimento eterno sem possibilidade de escapar do sentimento de culpa, ou que seria um lugar de isolamento pessoal sem a convivência com outras pessoas. Há os que dizem que no inferno não existe o tormento das chamas eternas e há os que dizem que o inferno não existe, que morrendo uma pessoa, simplesmente deixa de existir.
No entanto, todos os pensamentos a respeito do que seja céu e inferno são de origem humana, de pessoas como nós, que, por estarem vivas, não podem saber de fato como seria o céu ou o inferno. Há os que dizem que já foram ao inferno e voltaram, ou os que dizem ter tido visões do céu, mas já vimos no estudo anterior que o céu e o inferno são lugares definitivos, que não há intercâmbio entre a realidade dos vivos e as realidades dos que já morreram.
Precisamos, então, estudar o que a Bíblia nos ensina a respeito, principalmente o que o Senhor Jesus deixou ensinado para nós, porquanto Ele é o Filho de Deus, é o único que veio do céu e voltou para o céu, é aquele em quem foram criadas todas as coisas, é o agente de toda a criação (João 3:13; João 1:3; Colossenses 1:16)
1. O céu é um lugar

Jesus se referiu ao céu e ao inferno através de várias expressões, como vimos no estudo anterior. Mas, também, sempre se referiu como sendo lugares para onde pessoas são levadas ou se encontram após a morte. Pessoas completas, com corpo e alma (sobre isto estudaremos mais adiante). Por exemplo, ao ensinar sobre a necessidade do novo nascimento (João 3:5), disse a Nicodemos: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.” Ainda na sua palavra a Nicodemos (João 3:13), disse:  “Ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.” E, na parábola do rico e Lázaro (Lucas 16:22) Jesus disse que quando Lázaro morreu foi levado para o seio de Abraão. Na revelação do Apocalipse a João encontramos o Senhor Jesus Cristo convidando João a subir e entrar pela porta no céu para que visse o que o Senhor lhe mostraria (Apocalipse 4:1). Em Marcos 13:32 encontramos Jesus falando a respeito do dia do juízo final e afirmando que nem mesmo os anjos que estão no céu sabem daquele dia e hora. Voltando a Apocalipse 4, vamos encontrar a visão de João, arrebatado em espírito ao céu, vislumbrando o trono de Deus, o Cordeiro de Deus, a multidão dos salvos e tantas outras coisas. Conforme os ensinamentos bíblicos e, principalmente, os ensinamentos de Jesus, não há dúvida de que o céu é um lugar.
2. O céu é o lugar onde Deus está
A onipresença de Deus não é uma presença universal constante e obrigatória, porém a capacidade e o poder de estar em qualquer tempo nos lugares onde desejar estar. Pensar que Deus está em todos os lugares, em todos os seres, como se Ele habitasse na sua própria criação universal, é dar lugar a uma doutrina chamada panteísmo que, inclusive, abarca o naturismo. A tendência atual de se adorar a natureza é originária do pensamento panteísta.
Deus tem o seu lugar de onde governa todo o universo e este lugar é o céu. Em Isaías 66:1 lemos: “Assim diz o Senhor: o céu é o meu trono...” Em Mateus 23:22 lemos de Jesus ensinando: “E o que jurar pelo céu jura pelo trono de Deus e por aquele que está assentado nele.” Alguns dizem que é uma referência figurada, porquanto a expressão utilizada em grego e traduzida por “céu” é ouranos cujo significado seria o espaço arqueado do firmamento onde estão as nuvens, ou a atmosfera que nos é visível, ou, ainda, o universo. No entanto percebemos claramente que Jesus se refere ao céu como o firmamento em alguns ensinamentos (p.ex em Mat 24:30 e 35 e outros), mas, também, se refere ao céu com um lugar onde Deus está e de onde governa todas as coisas. Jesus tinha tanta convicção da presença do Pai no céu que ao orar, levantava seus olhos ao céu (ver p.ex João 17:1). Quando uma pessoa deixa este mundo e vai para o céu, vai para o mesmo lugar onde Deus está; daí ter que ser uma pessoa regenerada, perdoada e purificada de seus pecados, temente a Deus, que ame o Filho de Deus.
3. O céu é o lugar onde o Filho de Deus está.
Antes de morrer e ressuscitar, Jesus afirmou que ia para o Pai (João 16:16); em Marcos 14:62 lemos de Jesus afirmando que viria do céu juntamente com o Pai. Voltando a João 3:13, encontramos Jesus afirmando que está no céu; e o apóstolo Pedro declarou: “o qual está à destra de Deus, tendo subido ao céu (1Pedro 3:22). O Senhor Jesus Cristo ressuscitou e subiu ao céu, retornando para o Pai, assentando-se à destra do trono de Deus.
4. O céu é o lugar onde os salvos estão
Aqui chegamos ao ponto principal de discussões entre segmentos de grupos religiosos que se denominam cristãos. No estudo anterior mostramos que os que morrem vão diretamente para o céu ou para o inferno. No entanto, surgem diversas opiniões a respeito de quando os salvos vão para o céu e qual o estado físico e espiritual de permanência no céu. Encontramos ensinamentos claros e outros subtendidos na Bíblia.
a) Os salvos estão conscientes. Não estão dormindo, em uma espécie de estado de catalepsia. Em Apocalipse 15:3 lemos dos salvos cantando um cântico específico e conhecido, o cântico de Moisés e, também, o cântico do Cordeiro, e, ainda, diziam das grandes e maravilhosas obras de Deus. No episódio da transfiguração de Jesus (Lucas 9:30) encontramos Elias e Moisés conversando com Jesus a respeito das coisas futuras que aconteceriam com o Senhor.
b) Os salvos estão como seres completos. O ser humano é composto de corpo e alma, de uma parte material e outra espiritual. Há os que pensam e ensinam que somente o espírito do salvo vai para o céu, ficando aguardando o dia da ressurreição final quando, então, receberia o seu corpo glorificado e retornaria para o céu com um ser completo. Na realidade a Bíblia não ensina assim. Esta ideia tem fundamento em uma interpretação errada do que seria a ressurreição final, e isto é algo que discutiremos em um de nossos estudos futuros. Quando o crente morre o seu corpo terreno perde a vida, se corrompe e volta a ser pó. Foi gerado aqui e fica aqui. Mas, o seu espírito que foi dado por Deus, volta para Deus porém, com um corpo glorificado. O corpo glorificado, ou o corpo celestial (como afirma existir o apóstolo Paulo em 1Cor 15:40) é recebido no momento seguinte à morte. Este pensamento é baseado em textos bíblicos que mostram salvos sendo vistos no céu ou, no caso da transfiguração, em uma realidade celestial. Podemos utilizar alguns textos que já utilizamos até agora, tais como as visões dos salvos no céu no livro do Apocalipse.
E, em que nos baseamos para afirmarmos que se os salvos são vistos é porque já têm corpos glorificados? No fato de que espíritos não têm forma e, por isso, não são visíveis, nem palpáveis. Esta é, inclusive, uma afirmação do Senhor Jesus aos seus discípulos (Lucas 24:39). O dito de que espíritos são visíveis é superstição, é pensamento humano.
Alguns argumentam que os salvos só receberão seus corpos quando Cristo voltar e, então, ressuscitarem. No entanto, como veremos em estudo adiante, no dia que Cristo voltar os salvos ressurgirão com Ele, o que é diferente de ressuscitar.
c) Os salvos estão em paz perfeita. Sem qualquer tipo de sofrimento, gozam da paz perfeita. Não há dor no céu. Nem lágrimas, nem pranto, nem clamor, nem morte. Isto significa paz (Apoc 21:4).
d) Os salvos estão em um lugar perfeito. Perfeito no sentido moral, perfeito no sentido religioso, perfeito no sentido físico. No céu só entram os que foram purificados de seus pecados. Não entram os impuros (cães), os feiticeiros, os fornicadores, os homicidas, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira (Apoc 22:15).
CONCLUINDO
1. Deixar de crer no céu é deixar de crer no que Jesus Cristo ensinou e, ao mesmo tempo, é deixar de ter fé. Se a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, como teremos fé se não tivermos esperança? Fé somente para as coisas deste mundo? Isto nos faria os mais miseráveis dos homens (1Coríntios 15:19). É exatamente por isso que Satanás procura enganar a humanidade, inclusive os crentes, a respeito do que seja o céu. E isto ele faz utilizando muitos argumentos.
2. Sendo o céu o lugar onde Deus está, temos uma antevisão de quão maravilhoso é e de quanto poder há neste lugar. Um lugar onde está o trono de Deus, de seu Filho e onde todas as maravilhas que fazem parte da natureza de Deus e são originadas dEle estão presentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário